A corrida de US 350 bilhões, tecnologia lidera o boom

Tempo de leitura:
Compartilhe:

Fonte original – Reuters / 2 MIN DE LEITURA

(Reuters) – Os volumes globais de fusões e aquisições estão se aproximando de US 2 trilhões em 2020, com a tecnologia representando quase um quinto do total, após acordos gigantescos, como a venda de US $ 40 bilhões da fabricante de chips Arm pela SoftBank

O dealmaking acelerou em setembro, com a Nvidia Corp anunciando na segunda-feira a compra da Arm do SoftBank do Japão.

Outros deals estão vindo em massa e rápido, com a Verizon comprando a fornecedora mexicana de telefones celulares Tracfone por US 6,25 bilhões e a Gilead Sciences adquirindo a empresa de biotecnologia Immunomedics por US $ 21 bilhões.

Essas ondas são características após recessões, mas os dados do Refinitiv mostram que o total de US 1,97 trilhão de 2020 em negócios anunciados até agora excede US 1,26 trilhão e US 1,6 trilhão durante o mesmo período em 2009 e 2010, respectivamente, após a crise financeira de 2008.

“Saindo da recessão, geralmente há um pouco de recuperação a fazer e o custo de capital tende a ser barato”, disse Graham Secker, estrategista-chefe de ações europeias do Morgan Stanley.

As empresas de tecnologia representaram 17,8% do total, com US 351,4 bilhões, o maior nível desde o boom das pontocom de 2000, enquanto os serviços financeiros ficaram em segundo lugar, com um valor de negócio de US 283,8 bilhões ou 14% do total, disse Refinitiv.

Grande domínio da tecnologia, os dados mostraram 5.966 negócios visando tecnologia este ano, de um total de pouco mais de 30.000, reflete o impacto mais amplo da crise do coronavírus.

A mudança em massa de pessoas presas em casa para plataformas baseadas na Internet para fazer compras, trabalhar, estudar, consultas médicas e comunicação gerou especulações de que algumas dessas mudanças se tornaram permanentes.

“Por causa das mudanças que virão por trás disso, as empresas estarão pensando se têm as estruturas de negócios certas. Há um risco maior de uma mudança estrutural no comportamento do consumidor do que após as recessões anteriores ”, disse Secker, do Morgan Stanley.

Reportagem de Sujata Rao; Reportagem adicional de Rachel Armstrong; Edição de Alexander Smith

Compartilhe:

Últimas Postagens

Pipeline Capital e digitaliza.ai lançam o primeiro Scape Report interativo

A Pipeline Capital, empresa global de fusões e aquisições com foco em tecnologia, criadora dos Scape Reports, que se consolidaram como um guia de

Pipeline Capital é advisor da Vianuvem na sua venda para a Unico

  A unico, IDTech brasileira de soluções de proteção de identidade visual anuncia a compra de 100% das operações da Vianuvem, startup de gestão

Retail media e CTV juntas

Texto de Pyr Marcondes, Senior Partner da Pipeline Capital. O levantamento é da Innovid, uma plataforma de adtech e mensuração de performance de mídia.

Preço não se negocia, se respeita.

Texto de Alon Sochaczewski, Founder e CEO da Pipeline Capital. Vamos aproveitar o começo de ano para refletir sobre comportamentos essenciais que podem mudar

O Ecossistema de Inovação de Porto Alegre desabrochou

Texto de Cesar Paz, Business Partner da Pipeline Capital. Para avançarmos na afirmativa do título desse texto, primeiro precisamos entender minimamente o que seria

Retail mídia e a performance das marcas

Texto de Pyr Marcondes, Senior Partner da Pipeline Capital. Explosão de retail mídia inclui performance, mas também construção de marca. Temos visto que praticamente

Connect to the best of M&A world Subscribe to our Newsletter

Pipeline Podcast “Papo de M&A”

Pipeline Capital’s podcast on mergers and acquisitions, innovation and technology.