Ant Group – O Maior IPO do mundo

Tempo de leitura:
Compartilhe:

Ant Group busca o maior IPO do mundo

O Ant Group, de Jack Ma, está buscando cerca de US $ 34,4 bilhões em IPOs em Hong Kong e Xangai, que poderiam superar os US $ 25,6 bilhões da Saudi Aramco em 2019 e se tornar a maior oferta pública de todos os tempos.

A Ant, sediada em Hangzhou, venderá 1,67 bilhão de ações em Hong Kong por HK $80 (cerca de US $10) por ação e um valor equivalente no conselho de administração STAR de Xangai. A oferta pode receber US $ 5,2 bilhões adicionais se todas as opções de lote excedente forem exercidas.

O IPO é um momento marcante para as bolsas de valores domésticas da China e seu ecossistema de capital de risco. A Ant arrecadou cerca de US $20 bilhões desde 2015, o que representa mais de um terço do investimento de capital de risco em fintechs com base na China durante o período, de acordo com dados da PitchBook.

O maior segmento da empresa é sua plataforma de crédito, que respondeu por 39% da receita de 72,5 bilhões de yuans (cerca de US $10,8 bilhões) do Ant Group nos primeiros seis meses de 2020. Os pagamentos digitais representaram 36% da receita.

A empresa tem como meta 5 de novembro para sua listagem em Hong Kong.

O que é o ANT GROUP?

O Ant Group está sediado em Hangzhou, na China, e é um dos ativos no portfólio do Alibaba Group Holding. A fintech começou a funcionar em 2004 com a criação do Alipay, que tinha por objetivo solucionar um problema do Alibaba: garantir as transações entre compradores e vendedores que não tinham fontes de pagamentos confiáveis. A conta de garantia (serviço de custódia) do Ant recebia os recursos, que só eram liberados ao vendedor após o recebimento do produto em boas condições pelo comprador. O impacto dos serviços de pagamentos implementados desde então no Alibaba transformaram o ecossistema financeiro chinês, tornando o país asiático líder mundial em transações digitais e mudando a forma como os chineses lidam com o dinheiro através do Alipay.

Em números, o Ant teve mais de 1,3 bilhão de usuários ativos no ano passado, movimentando US$ 16 trilhões em pagamentos – número quase 25 vezes maior do que o volume movimentado pelo PayPal, a maior plataforma de pagamentos online fora da China.

O Ant Group também já teve outros nomes: Alibaba e-Commerce, Ant Small e Micro Financial Services, para então adotar o nome atual. O termo fintech, a propósito, é algo que a empresa tenta se livrar: Jack Ma prefere chamá-la de techfin. O que parece ser apenas uma questão etimológica, carrega o símbolo que a companhia quer associar à sua imagem: uma empresa de tecnologia voltada aos serviços financeiros, e não o contrário.

Quais são os negócios do Ant Group?

A transição de nome acompanhou bem a evolução nos serviços prestados pelo Ant – em português, formiga – que, assim como o inseto, atua em diferentes frentes no ecossistema em que está inserido. O Ant possui uma plataforma integrada, combinando serviços como pagamento por aproximação (offline) e online, a exemplo do PayPal; transferências financeiras digitais, como os brasileiros poderão em breve fazer pelo PIX; bandeira de cartão de crédito, financiamentos e empréstimos, além de investimentos e seguros, tudo em um único aplicativo, o famoso Alipay.

A receita com meios de pagamentos respondeu por 36% dos negócios do Ant no primeiro trimestre deste ano, além de servir como porta de entrada dos usuários para outros serviços financeiros, como os empréstimos da companhia, direcionados a microempresas e com taxas que variam entre 7% e 14% ao ano. A aprovação de crédito é realiza em três minutos também dentro do aplicativo, que utiliza mais de 3 mil variáveis em seus modelos de risco de crédito. Segundo o Alibaba, mais de 500 mil pedidos de empréstimos podem ser processados por segundo na plataforma.

Os recursos destinados a pequenas empresas representam 5% do mercado de crédito chinês e 15% da fatia de empréstimos ao consumidor. Atualmente, a empresa conecta tomadores a bancos ao custo de uma taxa pelo serviço de tecnologia e cobrada apenas das instituições financeiras. O crédito respondeu por 39% das receitas do Ant no 1T20.

O braço de investimentos teve início em 2013, quando a empresa passou a oferecer a compradores e vendedores a possibilidade de aplicar o saldo em conta em um fundo do mercado monetário, dando origem ao maior fundo do mundo na categoria. O Ant é hoje um dos canais de distribuição de ativos mais poderosos da China, ofertando mais de 6 mil produtos financeiros na plataforma entre ações e títulos de crédito.

Fontes do Artigo: Pitchbook e Forbes

Compartilhe:

Últimas Postagens

Pipeline Capital e digitaliza.ai lançam o primeiro Scape Report interativo

A Pipeline Capital, empresa global de fusões e aquisições com foco em tecnologia, criadora dos Scape Reports, que se consolidaram como um guia de

Pipeline Capital é advisor da Vianuvem na sua venda para a Unico

  A unico, IDTech brasileira de soluções de proteção de identidade visual anuncia a compra de 100% das operações da Vianuvem, startup de gestão

Crescimento do setor de Fintech

E o Venture Capital como oportunidade de investimento neste mercado O setor de fintech tem experimentado um crescimento exponencial nos últimos anos, impulsionado pela

Mercado de M&A é como um filme

O mercado de M&A (fusões e aquisições) possui uma jornada que pode ser vista como um filme composto por várias cenas, e não apenas

Pipeline Capital lança seu primeiro Scape Report na Europa

A empresa especializada em M&A no setor de Tech já elaborou anteriormente outros Scape Reports com o objetivo de oferecer uma compilação das empresas

M&A no setor de tecnologia: desafios e oportunidades

As fusões e aquisições (M&A) no setor de tecnologia têm se destacado como uma poderosa ferramenta para empresas que buscam inovação, expansão e competitividade.

Connect to the best of M&A world Subscribe to our Newsletter

Pipeline Podcast “Papo de M&A”

Pipeline Capital’s podcast on mergers and acquisitions, innovation and technology.