E-commerce: 5 tendências para fazer seu negócio crescer e aparecer em 2023

Tempo de leitura:
Compartilhe:

Vendas on-line surpreendem e continuam em crescimento após o fim da pandemia; confira os setores, as práticas e as dicas que devem estar no radar dos investidores e empreendedores do setor neste ano  

O comércio eletrônico brasileiro continua mostrando sua força e, segundo a Retail X, conseguiu crescer mais de R$ 40 bilhões (US$ 8,1 bi) em 2022, mesmo com os novos desafios apresentados pelo fim da pandemia e a volta dos consumidores às lojas físicas.  

Se os consumidores ainda tinham resistência a comprar algum produto on-line, as últimas barreiras foram derrubadas, na avaliação do fundador do E-commerce Brasil, Tiago Baeta. E esse fato está bastante ligado com a primeira tendência do comércio eletrônico que deve aquecer as vendas em 2023. Confira os cinco pontos abaixo. 

1. Supermercados on-line 

Em 2023 o setor supermercadista continuará crescendo na internet, segundo Tiago Baeta. O executivo recorda que as compras on-line em supermercados eram “quase nulas no pré-pandemia, apesar de serem um grande destaque do varejo físico”. Nos últimos dois anos, entretanto, esse quadro mudou e itens de supermercado são, atualmente, os mais vendidos nos marketplaces brasileiros.  

Na América Latina, as compras on-line em supermercados cresceram 41% no primeiro semestre de 2022 na comparação com o mesmo período de 2019, antes da crise sanitária. “A tendência é que o setor de supermercado on-line continue crescendo. Ele foi destaque nos últimos dois anos e não perdeu a força, pelo contrário, está se consolidando”, afirma Baeta. 

2. Live Commerce  

O nome já diz tudo. Uma live em que o consumidor interage com o vendedor e pode fazer a compra naquele momento. As live commerces são uma tendência forte para 2023 na avaliação de Baeta. Em artigo publicado no E-commerce Brasil, Monique Lima, CEO e Co-Founder da Mimo Live Sales, explica que uma live commerce pode ser realizada dentro do site ou app do vendedor, graças à tecnologia SaaS – Software as a Service – white label, que se adapta à plataforma adotada. Segundo a Mimo Live Sales atualmente 30% das vendas on-line na China já são realizadas em lives commerces e a expectativa do mercado global é movimentar US$ 1,2 trilhão até 2025.   

“A taxa de conversão (da live commerce) é muito maior”, diz Baeta. Segundo a Mimo, ela pode chegar a 30%. “O Brasil é o país onde as pessoas mais compram influenciadas por outras”, salienta o executivo. Outro fator que tem auxiliado o sucesso da live commerce, já que muitas vezes o influencer torna-se o apresentador da transmissão. 

3. Retail Media 

Os anúncios na internet não são mais os mesmos após o surgimento do Retail Media, um novo método de posicionar os Ads em sites e aplicativos de varejo. Em 2023, a tendência continuará forte, transformando os marketplaces em grandes destinos para verbas publicitárias. “A Amazon, nos Estados Unidos, já é a maior anunciante e, ao mesmo tempo, o maior canal de mídia daquele país. Todos os canais de venda e grandes marketplaces têm se tornado canais de mídia. A busca por produtos está acontecendo mais nessas plataformas do que no próprio Google”, explica Tiago Baeta. 

Para o executivo do E-commerce Brasil, saber utilizar os marketplaces a seu favor será um dos principais diferenciais dos negócios on-line neste ano. “A concentração da venda no comércio eletrônico está no marketplace, então é importante saber vender, estar presente, saber usá-los, mas sem depender deles, o que pode ser muito perigoso”, diz Baeta, sobre as plataformas de venda na internet. 

4 – Compras recorrentes 

Uma das características mais constantes nos e-commerces que estão em crescimento no setor é a recorrência, ou a possibilidade de comprar um, ou um conjunto de produtos, com uma certa periodicidade. “O que eu tento focar nos meus negócios é a recorrência, e a internet é perfeita para isso”, afirma Tiago Baeta. Para ele, desenvolver produtos para compras recorrentes – seja através de clubes, de assinaturas, ou de curadorias – envolve o cliente, fideliza, e ainda é uma ótima alternativa para aumentar o tíquete médio. “Com o valor arrecadado, você consegue investir, fazer um produto cada vez melhor para o cliente”, acrescenta.  

A compra recorrente também está presente no fenômeno das vendas on-line dos supermercados, na avaliação do executivo, o que a torna uma tendência interessante para 2023. Muitos clientes perceberam como era mais cômodo planejar as compras e salvar as listas de produtos durante a pandemia e acabaram adotando o hábito mesmo com a possibilidade de fazer as compras presencialmente. 

5 – Entender e Investir na jornada do cliente 

A divisão entre vendas físicas e on-line no varejo está fadada a desaparecer, segundo Tiago Baeta. “O E-commerce é parte da jornada. A gente deve parar de tratar o e-commerce separado do varejo. É uma experiência só, uma jornada só, a grande maioria das compras começa on-line e termina no físico”, explica.  

O executivo também afirma que para acompanhar essa jornada do consumidor é importante investir na criação de um relacionamento. Ele ressalta a tendência crescente de “usar o consumidor a seu favor”. Isso acontece quando o cliente está envolvido pela marca, avalia positivamente o produto em público, e torna-se um “micro-influenciador”. O próprio empresário deve se tornar um influenciador da marca e criar uma comunidade de fãs da marca, direcionando esses ativos para “os canais de venda corretos, sejam on-line ou não”, conclui Baeta.  

Acompanhe novidades através do site https://pipeline.capital
e também do LinkedIn
e do Instagram

Compartilhe:

Últimas Postagens

Exploring World Economic Conditions!

By Pipeline’s International Contributor in Paquistan, Hammad Kashif The current world economic conditions are a complex and ever-changing landscape, but one thing is sure:

Retail media and CTV together

Text by Pyr Marcondes, Senior Partner at Pipeline Capital. The survey is from Innovid, an adtech and media performance measurement platform. Advertisers pressured by rising

Price is not negotiated, it is respected.

Text by Alon Sochaczewski, Founder and CEO of Pipeline Capital. Let’s take advantage of the beginning of the year to reflect on essential behaviors

O Ecossistema de Inovação de Porto Alegre desabrochou

Texto de Cesar Paz, Business Partner da Pipeline Capital. Para avançarmos na afirmativa do título desse texto, primeiro precisamos entender minimamente o que seria

Connect to the best of M&A world Subscribe to our Newsletter

Pipeline Podcast “Papo de M&A”

Pipeline Capital’s podcast on mergers and acquisitions, innovation and technology.