E-commerce: 5 tendências para fazer seu negócio crescer e aparecer em 2023

Tempo de leitura:
Compartilhe:

Vendas on-line surpreendem e continuam em crescimento após o fim da pandemia; confira os setores, as práticas e as dicas que devem estar no radar dos investidores e empreendedores do setor neste ano  

O comércio eletrônico brasileiro continua mostrando sua força e, segundo a Retail X, conseguiu crescer mais de R$ 40 bilhões (US$ 8,1 bi) em 2022, mesmo com os novos desafios apresentados pelo fim da pandemia e a volta dos consumidores às lojas físicas.  

Se os consumidores ainda tinham resistência a comprar algum produto on-line, as últimas barreiras foram derrubadas, na avaliação do fundador do E-commerce Brasil, Tiago Baeta. E esse fato está bastante ligado com a primeira tendência do comércio eletrônico que deve aquecer as vendas em 2023. Confira os cinco pontos abaixo. 

1. Supermercados on-line 

Em 2023 o setor supermercadista continuará crescendo na internet, segundo Tiago Baeta. O executivo recorda que as compras on-line em supermercados eram “quase nulas no pré-pandemia, apesar de serem um grande destaque do varejo físico”. Nos últimos dois anos, entretanto, esse quadro mudou e itens de supermercado são, atualmente, os mais vendidos nos marketplaces brasileiros.  

Na América Latina, as compras on-line em supermercados cresceram 41% no primeiro semestre de 2022 na comparação com o mesmo período de 2019, antes da crise sanitária. “A tendência é que o setor de supermercado on-line continue crescendo. Ele foi destaque nos últimos dois anos e não perdeu a força, pelo contrário, está se consolidando”, afirma Baeta. 

2. Live Commerce  

O nome já diz tudo. Uma live em que o consumidor interage com o vendedor e pode fazer a compra naquele momento. As live commerces são uma tendência forte para 2023 na avaliação de Baeta. Em artigo publicado no E-commerce Brasil, Monique Lima, CEO e Co-Founder da Mimo Live Sales, explica que uma live commerce pode ser realizada dentro do site ou app do vendedor, graças à tecnologia SaaS – Software as a Service – white label, que se adapta à plataforma adotada. Segundo a Mimo Live Sales atualmente 30% das vendas on-line na China já são realizadas em lives commerces e a expectativa do mercado global é movimentar US$ 1,2 trilhão até 2025.   

“A taxa de conversão (da live commerce) é muito maior”, diz Baeta. Segundo a Mimo, ela pode chegar a 30%. “O Brasil é o país onde as pessoas mais compram influenciadas por outras”, salienta o executivo. Outro fator que tem auxiliado o sucesso da live commerce, já que muitas vezes o influencer torna-se o apresentador da transmissão. 

3. Retail Media 

Os anúncios na internet não são mais os mesmos após o surgimento do Retail Media, um novo método de posicionar os Ads em sites e aplicativos de varejo. Em 2023, a tendência continuará forte, transformando os marketplaces em grandes destinos para verbas publicitárias. “A Amazon, nos Estados Unidos, já é a maior anunciante e, ao mesmo tempo, o maior canal de mídia daquele país. Todos os canais de venda e grandes marketplaces têm se tornado canais de mídia. A busca por produtos está acontecendo mais nessas plataformas do que no próprio Google”, explica Tiago Baeta. 

Para o executivo do E-commerce Brasil, saber utilizar os marketplaces a seu favor será um dos principais diferenciais dos negócios on-line neste ano. “A concentração da venda no comércio eletrônico está no marketplace, então é importante saber vender, estar presente, saber usá-los, mas sem depender deles, o que pode ser muito perigoso”, diz Baeta, sobre as plataformas de venda na internet. 

4 – Compras recorrentes 

Uma das características mais constantes nos e-commerces que estão em crescimento no setor é a recorrência, ou a possibilidade de comprar um, ou um conjunto de produtos, com uma certa periodicidade. “O que eu tento focar nos meus negócios é a recorrência, e a internet é perfeita para isso”, afirma Tiago Baeta. Para ele, desenvolver produtos para compras recorrentes – seja através de clubes, de assinaturas, ou de curadorias – envolve o cliente, fideliza, e ainda é uma ótima alternativa para aumentar o tíquete médio. “Com o valor arrecadado, você consegue investir, fazer um produto cada vez melhor para o cliente”, acrescenta.  

A compra recorrente também está presente no fenômeno das vendas on-line dos supermercados, na avaliação do executivo, o que a torna uma tendência interessante para 2023. Muitos clientes perceberam como era mais cômodo planejar as compras e salvar as listas de produtos durante a pandemia e acabaram adotando o hábito mesmo com a possibilidade de fazer as compras presencialmente. 

5 – Entender e Investir na jornada do cliente 

A divisão entre vendas físicas e on-line no varejo está fadada a desaparecer, segundo Tiago Baeta. “O E-commerce é parte da jornada. A gente deve parar de tratar o e-commerce separado do varejo. É uma experiência só, uma jornada só, a grande maioria das compras começa on-line e termina no físico”, explica.  

O executivo também afirma que para acompanhar essa jornada do consumidor é importante investir na criação de um relacionamento. Ele ressalta a tendência crescente de “usar o consumidor a seu favor”. Isso acontece quando o cliente está envolvido pela marca, avalia positivamente o produto em público, e torna-se um “micro-influenciador”. O próprio empresário deve se tornar um influenciador da marca e criar uma comunidade de fãs da marca, direcionando esses ativos para “os canais de venda corretos, sejam on-line ou não”, conclui Baeta.  

Acompanhe novidades através do site https://pipeline.capital
e também do LinkedIn
e do Instagram

Compartilhe:

Últimas Postagens

Pipeline Capital e digitaliza.ai lançam o primeiro Scape Report interativo

A Pipeline Capital, empresa global de fusões e aquisições com foco em tecnologia, criadora dos Scape Reports, que se consolidaram como um guia de

Pipeline Capital é advisor da Vianuvem na sua venda para a Unico

  A unico, IDTech brasileira de soluções de proteção de identidade visual anuncia a compra de 100% das operações da Vianuvem, startup de gestão

Crescimento do setor de Fintech

E a Scale Ventures como oportunidade de investimento neste mercado O setor de fintech tem experimentado um crescimento exponencial nos últimos anos, impulsionado pela

Mercado de M&A é como um filme

O mercado de M&A (fusões e aquisições) possui uma jornada que pode ser vista como um filme composto por várias cenas, e não apenas

Pipeline Capital lança seu primeiro Scape Report na Europa

A empresa especializada em M&A no setor de Tech já elaborou anteriormente outros Scape Reports com o objetivo de oferecer uma compilação das empresas

M&A no setor de tecnologia: desafios e oportunidades

As fusões e aquisições (M&A) no setor de tecnologia têm se destacado como uma poderosa ferramenta para empresas que buscam inovação, expansão e competitividade.

Connect to the best of M&A world Subscribe to our Newsletter

Pipeline Podcast “Papo de M&A”

Pipeline Capital’s podcast on mergers and acquisitions, innovation and technology.