Mercado já está retomando investimentos e não estamos percebendo.

Tempo de leitura:
Compartilhe:

Texto de Pyr Marcondes, Senior Partner da Pipeline Capital. 

Enquanto lemos por todo lado que a crise macroeconômica afetou, como tantos outros setores da economia, também os investimentos de marketing, não estamos percebendo que:

1. Esse impacto realmente ocorreu, mas foi longe de desastroso e a indústria já enfrentou momentos recessivos muito piores historicamente;
2. Se uma parte das marcas reduziu seus investimentos, uma outra parte manteve ou até aumentou seus budgets, notadamente em marketing digital, cujos indicadores desconhecem a crise e seguem crescendo mês após mês, no Brasil e mundo afora (mídia de alta performance)
3. As reduções, segundo levantamentos globais, ficaram entre 15% e 20%, o que obviamente é ruim, mas nada astronômico;
4. Estamos falando em meses, não em anos, como muitos previram, de impacto.

No Brasil e em mercados desenvolvidos os investimentos começam a retornar. Como estamos acompanhando, este último trimestre acumulou Copa, Black Friday e Natal e os anunciantes não estão nada dispostos a perder essa oportunidade acumulada por conta da falta de energia na Europa devido a guerra da Ucrânia. Sim, os vasos são comunicantes, e o que acontece globalmente, nos atinge também. Mas há um grau de independência que descola mercados, descola atividades, descola oportunidades, ferramentas, plataformas, formatos, e dinâmicas de gestão de aportes em marketing, do macro cenário.

E é isso que estamos comendo bola e não percebendo direito.

Começando neste último quarter, mas com reflexos positivos já em 2023, e dali em diante, as economias e as empresas não ficarão mais reféns da macroeconomia como nos últimos meses. O descolamento será gradual, mas inevitável e se alastrará.

Dos que reduziram, a esmagadora maioria declara que já agora, em Thanksgiving, vai retomar investimentos e que vai manter o ritmo de retomada ano que vem.

Não foi um tsunami, foi uma marola. Agora vem o momento de surfar a onda da retomada.

 

Texto publicado originalmente pela ProXXIma.

Texto de Pyr Marcondes, Senior Partner da Pipeline Capital. 

 

 

Acompanhe novidades através do site https://pipeline.capital
e também do LinkedIn
e do Instagram

 

Compartilhe:

Últimas Postagens

Pipeline Capital e digitaliza.ai lançam o primeiro Scape Report interativo

A Pipeline Capital, empresa global de fusões e aquisições com foco em tecnologia, criadora dos Scape Reports, que se consolidaram como um guia de

Pipeline Capital é advisor da Vianuvem na sua venda para a Unico

  A unico, IDTech brasileira de soluções de proteção de identidade visual anuncia a compra de 100% das operações da Vianuvem, startup de gestão

Pipeline Capital faz rodada de crowdequity com sucesso para FRN³

Com 10 anos de atividade, posicionada no quadrante Platinum de Engineering Abilities da VTEX, e tendo entre seus principais clientes Seara, JBS, Panasonic, Decathlon,

Impulsione o crescimento da sua empresa com M&A

O crescimento da sua empresa vai além de um desejo – é um imperativo para assegurar sua continuidade no mercado. Entre as estratégias adotadas

Pipeline Capital é advisor da Cadastra na compra da Maeztra

A Pipeline Capital, empresa global de M&A, assessorou a Cadastra, empresa global de serviços de tecnologia, comunicação, dados e estratégia, em sua quarta aquisição seguida

Os benefícios de vender seu negócio para uma empresa maior

Vender seu negócio pode ser uma decisão difícil, mas ao considerar as vantagens de vender para uma empresa maior, muitas vezes se torna uma

Connect to the best of M&A world Subscribe to our Newsletter

Pipeline Podcast “Papo de M&A”

Pipeline Capital’s podcast on mergers and acquisitions, innovation and technology.