M&A mostra tendência positiva, que deve se consolidar

M&A mostra tendência positiva, que deve se consolidar

Tempo de leitura:
Compartilhe:

Texto de Alon Sochaczewski, fundador e CEO da Pipeline Capital.

No mais recente estudo do Morgan Stanley, cujo título é “Why 2024 Could Be a Hot Year for M&A”, a instituição prevê:

  • Os volumes de transações podem aumentar em até 50% em 2024, após a menor atividade em quase duas décadas em 2023.
  • Empresas não financeiras e investidores do mercado privado acumularam um total de US$ 8,1 trilhões em capital não alocado, o que está alimentando a demanda reprimida.
  • Bancos, energia, saúde, imóveis e tecnologia estão entre os setores preparados para um aumento nas fusões e aquisições.
  • Espera-se que o ressurgimento da atividade de M&A seja global, com o maior número de negócios na Europa e na América do Norte.

À medida em que avançamos em 2024 (já estamos no meio do ano, você o viu passar?), é essencial analisarmos as condições econômicas globais e nacionais e como elas impactam o mercado de fusões e aquisições (M&A).

Este ano, estamos observando uma série de mudanças significativas que podem influenciar nossas estratégias empresariais e decisões de investimento.

Contexto econômico internacional

Em nível global, as taxas de inflação têm mostrado sinais de estabilização após um período de alta inflação. Países desenvolvidos, como os Estados Unidos e membros da União Europeia, conseguiram implementar políticas monetárias que estão começando a corrigir os índices inflacionários. A redução gradual das taxas de juros por parte dos bancos centrais tem sido uma resposta para conter a inflação sem frear drasticamente o crescimento econômico.

Segundo recentes análises do Financial Times, a expectativa é que a inflação nos EUA se mantenha em torno de 3% em 2024, refletindo um controle mais rigoroso das políticas monetárias. Na União Europeia, a inflação também tem mostrado sinais de desaceleração, com previsões apontando para índices próximos a 2,5%. Esses números indicam um ambiente econômico mais estável, que é favorável para a retomada das atividades de M&A.

Economia brasileira

No Brasil, o cenário é similar, embora com desafios particulares. De acordo com o Banco Central, a inflação brasileira, medida pelo IPCA, tem uma meta de 3% para 2024, com um intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Esse controle inflacionário é crucial para manter a confiança dos investidores e estimular o crescimento econômico.

Além disso, o Banco Central do Brasil recentemente revisou suas projeções para o crescimento do PIB em 2024, agora estimado em 1,8%. Essa revisão positiva reflete uma perspectiva de recuperação econômica, apesar das dificuldades enfrentadas nos últimos anos. Com a redução gradual da taxa Selic, atualmente projetada para 10,75% até o final do ano, espera-se um ambiente de negócios mais favorável para investimentos e aquisições.

Tendências de mercado no M&A

large deals power 26%  jump in quartely volumes year-over-year to about $712.5 billion globally

O mercado de M&A global está mostrando sinais de recuperação, como previu o Morgan Stanley. Após um período de incerteza causado pela pandemia e pelas turbulências econômicas subsequentes, 2024 tem se mostrado um ano de retomada. Dados recentes indicam um aumento no volume de transações de M&A, especialmente em setores como tecnologia, saúde e energia renovável. Analistas do setor preveem que essa tendência deve continuar em 2025, com um aumento contínuo no número de transações e no valor dos negócios.

No Brasil, o mercado de M&A também está aquecendo. Empresas locais estão buscando consolidação para ganhar eficiência e competitividade, enquanto investidores estrangeiros estão de olho nas oportunidades de aquisições estratégicas. A perspectiva de um ambiente econômico mais estável e a retomada do crescimento são fatores que impulsionam essa tendência.

Se não é ótimo, está longe de ruim

As incertezas ainda são evidentes para todos os lugares onde olhamos, mas aqui na Pipeline Capital enxergamos também evidentes indicadores de que tanto o cenário econômico global quanto o brasileiro oferecem oportunidades promissoras para o mercado de M&A. A estabilização das taxas de inflação e as projeções de crescimento econômico positivo criam um ambiente favorável para novas aquisições e fusões. É crucial que continuemos atentos às mudanças econômicas e adaptemos nossas estratégias para aproveitar ao máximo essas oportunidades.

Vamos seguir monitorando esses indicadores e ajustando nossas abordagens para garantir que estamos bem-posicionados para capitalizar essas tendências emergentes no mercado de M&A. Para nós e todos nossos parceiros de negócio.

Texto de Alon Sochaczewski, fundador e CEO da Pipeline Capital.


Siga a gente:

Compartilhe:

Últimas Postagens

Pipeline Capital e digitaliza.ai lançam o primeiro Scape Report interativo

A Pipeline Capital, empresa global de fusões e aquisições com foco em tecnologia, criadora dos Scape Reports, que se consolidaram como um guia de

Pipeline Capital é advisor da Vianuvem na sua venda para a Unico

  A unico, IDTech brasileira de soluções de proteção de identidade visual anuncia a compra de 100% das operações da Vianuvem, startup de gestão

O que é um processo de M&A?

M&A é a sigla em inglês para Mergers and Acquisitions, em português, Fusões e Aquisições. Trata-se da compra e venda parcial ou total de

O que é Martech

E por que Martech é essencial para o sucesso do seu negócio. Para começar, é importante entender o que é Martech. O termo “Martech”

M&A mostra tendência positiva, que deve se consolidar

Texto de Alon Sochaczewski, fundador e CEO da Pipeline Capital. No mais recente estudo do Morgan Stanley, cujo título é “Why 2024 Could Be a

Venture Capital vs Venture Debt: Financiamento para startups

Venture capital vs venture debt, entenda suas diferenças, vantagens e desvantagens, e também o momento mais apropriado para cada financiamento. O acesso ao capital

Connect to the best of M&A world Subscribe to our Newsletter

Pipeline Podcast “Papo de M&A”

Pipeline Capital’s podcast on mergers and acquisitions, innovation and technology.