Pipeline Capital é advisor na venda da Giusti para a FSB

Tempo de leitura:
Compartilhe:

Fundada há 18 anos pelo jornalista Edson Giusti, a Giusti Comunicação passa a integrar o Grupo FSB, maior holding de relações públicas do País, com faturamento de R$ 250 milhões em 2020. Os valores envolvidos no negócio não foram divulgados e a aquisição contou com a consultoria da Pipeline Capital, de Alon Sochaczewski. Esta é a segunda compra feita pela FSB, que, em 2018, adicionou ao grupo a Loures Consultoria, fundada em 2015 por Alexandre Loures, ex-diretor de comunicação da Ambev.

Assim como ocorreu com a Loures, a Giusti Comunicação manterá atuação independente, conservando sua marca, o CEO Edson Giusti e os sócios Bel Pocai, Marcela Branco e Francisco Itacarambi, que atuam como diretores de atendimento, além de Gabriela Santos, diretora administrativa e de recursos humanos, e Renato Ganhito, diretor de novos negócios.

A Giusti nasceu no ano 2000 dentro de uma agência de publicidade, a Loducca. Anos depois, ampliou sua atuação de assessoria de imprensa para relações públicas e ganhou vida independente, mantendo especialidades em mídia e publicidade, e focos em criatividade e gestão de crises. Historicamente muito atuante no mercado de comunicação, a Giusti tem entre seus clientes atuais o SBT e o Estadão, e as agências AlmapBBDO e BETC Havas. Outras contas atendidas são Aegea, Alpargatas, Ame, Centauro, Centro Paula Souza, EDP, Grupo SBF e Protege. Em 2017, a Giusti venceu o prêmio Caboré na área de Serviços de Marketing. No ano passado, sofreu perda de clientes no início da pandemia, mas se recuperou com conquista de novas contas e fechou o exercício com faturamento de R$ 19 milhões.

Para Edson Giusti, a incorporação pelo Grupo FSB irá impulsionar o crescimento da agência nos próximos anos. “A Giusti cresceu e ganhou relevância no mercado de comunicação, de marketing, de gestão de crise e de atendimento estratégico de lideranças empresariais. Recebi várias propostas de outros grupos, mas considerei que o Grupo FSB passa por um momento de grandes investimentos em transformação digital, não olhando apenas para o PR tradicional, mas para o PR ‘figital’. Outro motivo que considerei fundamental: é um grupo construído e tocado por sócios que atuam com o pulso no negócio”, salienta.

Segundo Alexandre Loures, esse movimento desejado pela Giusti já ocorreu com a Loures Consultoria. “A Loures dobrou de tamanho desde que ingressou no Grupo FSB. A estrutura do grupo, com as expertises somadas do ecossistema e a robustez da cartela de clientes, traz um ambiente de grande favorabilidade para a agência impulsionar ainda mais o seu negócio. Do nosso ponto de vista, a Giusti vai ser muito importante por trazer como diferencial o conceito de Creative PR, que une estratégia e criatividade”, frisa.

Além das incorporações recentes da Loures e da Giusti, o Grupo FSB lançou neste ano a F5 Business Growth, focada em transformação digital e desenvolvimento de negócios, e comandada por Renato Mendes (ex-diretor de marketing da Netshoes) e Thiago Cid, além de Diego Ruiz, que também é sócio da holding. No ano passado, o Grupo FSB lançou, em parceria com a Exame, a plataforma Bússola, com conteúdo voltado para tomadores de decisão nos setores do varejo, infraestrutura, saúde, educação, sustentabilidade, política, comunicação e marketing. Outra nova área de atuação do grupo é o universo dos games, com a Game&Change, focada em estratégias de marca e comunicação dentro do ambiente gamer.

A maior empresa do grupo é a FSB Comunicação, agência de relações públicas comandada pelo CEO Marcos Trindade, que é sócio da holding ao lado de Magno Trindade, Flávio Castro, Alexandre Loures, Diego Ruiz, Renato Salles, Gabriela Wolthers e Marcelo Diego, além do fundador Francisco Soares Brandão. Também integram o grupo, o Instituto FSB Pesquisa, comandado por Marcelo Tokarski, e a FSB Publicidade, dirigida por Marcelo Montenegro e Jaderson Alencar. “Este ano registramos um crescimento de 50% na carteira de clientes privados, que vem registrando forte expansão desde a aquisição da Loures”, frisa Trindade. “Estamos desenvolvendo uma estratégia de consolidação do mercado baseado na atração de agências com sócios que estão no dia-a-dia dos clientes e não queiram sair do negócio, como nós”, acrescenta Diego Ruiz, responsável pelas áreas de inovação, expansão e M&A.

Confira também a matéria no Meio&Mensagem, julho de 2021.

Compartilhe:

Últimas Postagens

Pipeline Capital e digitaliza.ai lançam o primeiro Scape Report interativo

A Pipeline Capital, empresa global de fusões e aquisições com foco em tecnologia, criadora dos Scape Reports, que se consolidaram como um guia de

Pipeline Capital é advisor da Vianuvem na sua venda para a Unico

  A unico, IDTech brasileira de soluções de proteção de identidade visual anuncia a compra de 100% das operações da Vianuvem, startup de gestão

Pipeline Capital é Advisor da Cadastra na compra da Qexpert

A Cadastra, empresa global de soluções de marketing, tecnologia, estratégia de negócios, data e analytics, realizou sua terceira aquisição em quatro meses. Desta vez,

Retail media e CTV juntas

Texto de Pyr Marcondes, Senior Partner da Pipeline Capital. O levantamento é da Innovid, uma plataforma de adtech e mensuração de performance de mídia.

Preço não se negocia, se respeita.

Texto de Alon Sochaczewski, Founder e CEO da Pipeline Capital. Vamos aproveitar o começo de ano para refletir sobre comportamentos essenciais que podem mudar

O Ecossistema de Inovação de Porto Alegre desabrochou

Texto de Cesar Paz, Business Partner da Pipeline Capital. Para avançarmos na afirmativa do título desse texto, primeiro precisamos entender minimamente o que seria

Connect to the best of M&A world Subscribe to our Newsletter

Pipeline Podcast “Papo de M&A”

Pipeline Capital’s podcast on mergers and acquisitions, innovation and technology.