O que considerar na hora do M&A

Tempo de leitura:
Compartilhe:

Alguns empreendedores já criam suas empresas com o sonho de vender os negócios. Outros, não. No caso de Jared Andrade, fundador da Qexpert, fazer um M&A não era o objetivo inicial. A startup, especializada em dados e analytics, começou a crescer, ganhar escala e conquistar clientes e, com isso, empresas se aproximaram com interesse de adquirir o negócio.

“Começamos a ser vistos, e empresas nos procuraram com intuito de M&A“, disse Jared, durante um evento na última semana. “Vender a startup não estava no nosso objetivo. Conversamos com as empresas que nos abordaram para entender como eram as oportunidades e o mercado”, explica. No início, o negócio não estava preparado, por causa do porte, tamanho e experiência.

Quando chegou no momento ideal, a Qexpert se conectou à Cadastra, empresa global de soluções de marketing, tecnologia, estratégia de negócios, data e analytics. As adaptações, segundo Jared, começaram desde o pitch. “Vimos que havia match e empatia entre os negócios”, pontua. O deal foi anunciado em janeiro deste ano.

Ele ressalta que, durante o processo, a startup não pode deixar a peteca cair. “Nossa preocupação era que o M&A não atrapalhasse a operação. Dividimos o time para que ninguém ficasse sobrecarregado e a operação continuasse firme. Você nunca pode parar de prestar atenção na operação”, recomenda.

Thiago Bacchin, fundador e CEO da Cadastra, afirma que um dos aspectos mais importantes para a companhia é a questão financeira. “Dificulta muito avançar quando a empresa não está organizada financeiramente. Se está bagunçado, já é o primeiro sintoma de que a startup não está preparada para o M&A”, diz. A organização leva em conta outros fatores como valores, carteira de cliente, time, complementaridade dos negócios e modelo de trabalho – evitando negócios com peso alto em colaboradores PJ.

A Cadastra fez sua primeira aquisição em 2019 e, desde então, hoje tem um portfólio de 5 empresas. “Esperamos que os founders sigam no negócio, comprem o sonho grande que a gente escreve“, finaliza.

A Pipeline Capital Tech assessorou a Cadastra no processo de compra da QExpert.

Texto original publicado no portal Fusões e Aquisições.

Compartilhe:

Últimas Postagens

Pipeline Capital e digitaliza.ai lançam o primeiro Scape Report interativo

A Pipeline Capital, empresa global de fusões e aquisições com foco em tecnologia, criadora dos Scape Reports, que se consolidaram como um guia de

Pipeline Capital é advisor da Vianuvem na sua venda para a Unico

  A unico, IDTech brasileira de soluções de proteção de identidade visual anuncia a compra de 100% das operações da Vianuvem, startup de gestão

Utilizando o M&A para entrar em novos mercados ou adquirir novas tecnologias

Fusões e aquisições (M&A) são estratégias poderosas para empresas que buscam expansão e inovação. Se você é um empreendedor ou investidor, entender como utilizar

Governança corporativa como estratégia central para o sucesso no M&A

A governança corporativa representa um pilar fundamental no desenvolvimento e na expansão de negócios, especialmente em um ambiente tão competitivo quanto o de Mergers

Mitos e verdades sobre a venda de empresas

A venda de uma empresa é um marco significativo na jornada de qualquer empreendedor ou investidor. No entanto, esse processo muitas vezes é envolto

Nubank

Nossa “Empresa do Mês” de abril, o Nubank, é o maior banco digital do Brasil e da América Latina. Foi fundada em 2013 no

Connect to the best of M&A world Subscribe to our Newsletter

Pipeline Podcast “Papo de M&A”

Pipeline Capital’s podcast on mergers and acquisitions, innovation and technology.