Os podcasts são o futuro do rádio?

Tempo de leitura:
Compartilhe:

Um olhar sobre a ascensão dos podcasts e como nossa geração consome mídia. Original em Spire Magazine

Digamos que você esteja indo da aula para o ônibus e queira ouvir algo diferente do álbum que sempre toca. Você procura sua fonte favorita em seu telefone, seja Podcasts, Spotify ou outra plataforma e coloca um episódio de seu podcast favorito. A música familiar toca no início do episódio, e você se anima um pouco, animado com o que está por vir. É como ser criança e ouvir a música tema do seu desenho animado favorito na sala de estar. Uma voz familiar (ou conjunto de vozes) fala, quase como se estivessem falando diretamente em seus ouvidos. Você participa da conversa e está aprendendo algo novo, como as últimas notícias desta manhã ou o relato assustador de um assassino em série dos anos 1970.

Mesmo que pareça que você está em seu próprio mundo, você está realmente ouvindo junto com milhões de pessoas. Essa é uma experiência comum no mundo dos podcasts. Os podcasts, como os conhecemos, só existem desde 2004, quando o ex-disc jockey da MTV Adam Curry e o desenvolvedor de software Dave Winer criaram um aplicativo chamado iPodder. O aplicativo baixava programas de notícias da Internet e os convertia em arquivos de áudio digital. Desde então, os podcasts foram criados por quase todas as grandes organizações de notícias e se ramificaram em comentários políticos, crimes verdadeiros, cultura pop e saúde mental.

Quanto ao título, iPod + Broadcasts = podcasts.

O interessante sobre os podcasts é como eles estão atraindo as faixas etárias mais jovens. De acordo com a Edison Research nos Estados Unidos, 51 por cento dos ouvintes mensais do podcast em 2017 eram pessoas com idades entre 17-34. Eles são em sua maioria homens e brancos e possuem ou estão cursando uma faculdade. Olhando para a demografia, parece que essas pessoas são filhos e netos de ouvintes leais de programas de rádio.

Definitivamente, existem algumas semelhanças em ambos os formatos de mídia. Um host, ou grupo de hosts, transmite sua opinião sobre uma determinada situação (como o lançamento de um novo videogame ou uma eleição presidencial) e o consumidor escuta. Ao ouvir uma conversa, eles sentem que fazem parte dela – mesmo que a pessoa que está falando esteja a milhares de quilômetros de distância e nunca tenha conhecido seus ouvintes.

As diferenças existem, no entanto. O talk radio normalmente é transmitido durante um determinado horário e dia na estação que o patrocina. É vinculado por uma empresa. Os podcasts podem ser carregados por qualquer pessoa, estão disponíveis para download e escuta sob demanda, não precisam ser parte de uma grande empresa de mídia (embora muitos populares sejam).

Parece que os podcasts são a evolução natural do rádio à medida que a tecnologia progrediu e, com a capacidade de ouvir episódios em qualquer lugar, a qualquer hora, é mais fácil do que nunca para os novos ouvintes entrarem em ação.

Na minha opinião, não há nenhum argumento contra o fato de que os podcasts terão um papel importante na forma como consumimos informações e que os dias dos programas regulares de rádio estão contados. Eu gostaria de ver mais podcasts que agradem a diversos públicos e que o meio se desenvolva.

Compartilhe:

Últimas Postagens

Pipeline Capital e digitaliza.ai lançam o primeiro Scape Report interativo

A Pipeline Capital, empresa global de fusões e aquisições com foco em tecnologia, criadora dos Scape Reports, que se consolidaram como um guia de

Pipeline Capital é advisor da Vianuvem na sua venda para a Unico

  A unico, IDTech brasileira de soluções de proteção de identidade visual anuncia a compra de 100% das operações da Vianuvem, startup de gestão

Retail media e CTV juntas

Texto de Pyr Marcondes, Senior Partner da Pipeline Capital. O levantamento é da Innovid, uma plataforma de adtech e mensuração de performance de mídia.

Preço não se negocia, se respeita.

Texto de Alon Sochaczewski, Founder e CEO da Pipeline Capital. Vamos aproveitar o começo de ano para refletir sobre comportamentos essenciais que podem mudar

O Ecossistema de Inovação de Porto Alegre desabrochou

Texto de Cesar Paz, Business Partner da Pipeline Capital. Para avançarmos na afirmativa do título desse texto, primeiro precisamos entender minimamente o que seria

Retail mídia e a performance das marcas

Texto de Pyr Marcondes, Senior Partner da Pipeline Capital. Explosão de retail mídia inclui performance, mas também construção de marca. Temos visto que praticamente

Connect to the best of M&A world Subscribe to our Newsletter

Pipeline Podcast “Papo de M&A”

Pipeline Capital’s podcast on mergers and acquisitions, innovation and technology.