Pandemia acelera a digitalização do consumo

Tempo de leitura:
Compartilhe:

Pesquisa feita pela Social Miner aponta que 49% das pessoas pretendem realizar compras online e off-line em 2021

O número de pessoas que pretendem combinar compras online e off-line aumentará de 29% em 2019 para 59% em 2021. É o que projeta um levantamento feito pela Social Miner em parceria com a Opinion Box. O cenário, acelerado pela Pandemia de Covid-19, reforça que as empresas precisam a cada dia adotar uma visão omnichannel, ou seja, ter um olhar de integração entre todos os canais utilizados na empresa, quebrando a barreira entre o mundo físico e o digital.

A junção destes canais facilita a experiência da venda para o cliente. “Se eu estou passando perto de uma loja, você não precisa me obrigar a comprar do e-commerce, eu prefiro comprar da própria loja. Se eu estou viajando por exemplo, eu posso comprar pelo site, porque eu acho que é mais cômodo. Se eu tenho o app instalado, me deixa comprar pelo app”. Pelo menos, essa é a linha de pensamento de Renan Mota, sócio fundador da Corebiz, maior integradora de omnichannel da América Latina.

O fato é que o consumidor está cada vez mais onipresente, e, portanto, as empresas precisam adaptar seus modelos de negócios para atender esse novo público. “Todos os canais, eles estão ali para atender o cliente, para colocá-lo no centro de todas essas atenções. Então, você vê que a gente está cada vez mais olhando para a experiência do cliente, dando para ele vários canais para ele comprar”, completa Mota.

Em uma estratégia omnichannel é preciso olhar a experiência do cliente como um todo, e não só o ato da compra. Uma pesquisa feita em 2017 nos Estados Unidos, pela Business Insider, apontou que 67% dos americanos pretendiam pesquisar sobre os produtos antes de fazer suas compras de fim de ano.

Aqui no Brasil, a pesquisa da Social Miner mostrou que as pessoas priorizam uma compra online por achar mais barato (48%) e por ser mais prático (46%). Já a preferência pela compra em lojas físicas passa pelo desejo de querer provar ou sentir o produto (46%) e por achar que tem mais praticidade comprar direto na loja física (37%).

Levando tudo isso em consideração, as empresas precisam entender as necessidades de cada cliente, proporcionando a ele uma experiência única. “O cliente está querendo comprar um produto, um serviço, ou até mesmo se relacionar com aquela marca. Ele pode e deve escolher qual é o melhor meio para ele, qual é o mais cômodo para ele no momento. E é isso que a gente quer trazer como experiência com o omnichannel”, afirma o executivo.

Um bom exemplo aqui no Brasil em como investir em omnichannel pode trazer crescimento para as empresas, é a rede de varejo Magazine Luiza. Depois de adotar um modelo omnichannel, a companhia chegou ao posto de varejista com o maior valor de mercado da bolsa brasileira em 2018, alcançando uma alta de 126% das ações, na época a maior da B3.

É preciso, contudo, levar em conta que esses investimentos em omnichannel tendem a ser cada vez mais necessários para a atender esse novo consumidor, que está cada vez mais onipresente. Principalmente depois da Pandemia do novo coronavírus, que acelerou a digitalização do consumo. “É preciso entender o que o cliente quer consumir? Como ele quer consumir aquele produto? Que conteúdo ele quer? E depois ver quais as necessidades que estão em volta disso. Isso é muito cultural no omnichannel”, reforça Mota.

  1. Pipeline Capital faz parceria com Google
  2. As melhores fontes de informação de Pyr Marcondes
  3. Robô ou humano? Quem escreveu esse texto?
  4. Interesse por IPO no Brasil cresce na pandemia
  5. Direito trabalhista na Crise – Entrevista Rosa Bicker
Compartilhe:

Últimas Postagens

Pipeline Capital e digitaliza.ai lançam o primeiro Scape Report interativo

A Pipeline Capital, empresa global de fusões e aquisições com foco em tecnologia, criadora dos Scape Reports, que se consolidaram como um guia de

Pipeline Capital é advisor da Vianuvem na sua venda para a Unico

  A unico, IDTech brasileira de soluções de proteção de identidade visual anuncia a compra de 100% das operações da Vianuvem, startup de gestão

Pipeline Capital é Advisor da Cadastra na compra da Qexpert

A Cadastra, empresa global de soluções de marketing, tecnologia, estratégia de negócios, data e analytics, realizou sua terceira aquisição em quatro meses. Desta vez,

Retail media e CTV juntas

Texto de Pyr Marcondes, Senior Partner da Pipeline Capital. O levantamento é da Innovid, uma plataforma de adtech e mensuração de performance de mídia.

Preço não se negocia, se respeita.

Texto de Alon Sochaczewski, Founder e CEO da Pipeline Capital. Vamos aproveitar o começo de ano para refletir sobre comportamentos essenciais que podem mudar

O Ecossistema de Inovação de Porto Alegre desabrochou

Texto de Cesar Paz, Business Partner da Pipeline Capital. Para avançarmos na afirmativa do título desse texto, primeiro precisamos entender minimamente o que seria

Connect to the best of M&A world Subscribe to our Newsletter

Pipeline Podcast “Papo de M&A”

Pipeline Capital’s podcast on mergers and acquisitions, innovation and technology.